Notícias

Diz-me como te chamas, dir-te-ei como és!

Redação
publicado há 4 meses
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

“Sabe o que é que as pessoas pensam quando ouvem o seu nome?”, foi com este mote que a My Nametags, empresa fabricante de etiquetas de identificação, fez um inquérito com mais de mil pessoas em Portugal para tentar perceber que estereótipos estão ligados aos nomes próprios.

 

Sabe-se que o nome da pessoa pode ser como o cartão-de-visita sobre a personalidade de quem estamos a conhecer, por isso, a My Nametags, fabricante de etiquetas de identificação, foi tentar perceber os estereótipos que existem em relação aos nomes mais populares em Portugal.

Tendo como foco principal os seis nomes mais comuns em Portugal – Maria, Leonor, Matilde, Afonso, Tiago e João, realizou-se um estudo com mais de mil portugueses para se perceber os estereótipos existentes em relação a cada nome. Eis o resultado do estudo:

Cuidados com as Marias!

As Marias são consideradas pessoas amáveis e sociáveis. Para a maioria das pessoas inquiridas, o nome próprio Maria é associado a uma pessoa curiosa, disciplinada e organizada. Por outro lado, o nome Maria foi também conotado a pessoas pouco argumentativas e pouco assertivas, revelando alguma falta de energia e espírito de inovação. Por vezes a sua grande autoconfiança pode levar a que a considerem um pouco distante e até arrogante, tornando por isso, de acordo com os inquiridos, a Maria numa pessoa difícil de confiar.

Matilde, uma amiga para a vida

A Matilde, por sua vez, é considerada uma pessoa amigável e que raramente está de mau humor. Sociável e comunicativa, é também vista como uma pessoa curiosa, organizada e disciplinada. Em termos emocionais é uma pessoa entusiasmante, amável e com quem dá gosto partilhar bons momentos. A autoconfiança também não é um problema para as Matildes que encaram os problemas com bastante despreocupação. Conhece alguém assim?

O carisma é da Leonor

Argumentativa, comunicativa e amigável são alguns dos adjetivos usados para descrever as pessoas de nome próprio Leonor. De acordo com a pesquisa, é uma pessoa curiosa mas por vezes pouco inovadora, apesar de normalmente ser organizada e bem-sucedida. A Leonor é vista também como carismática, amável e confiante, nunca deixando uma sala indiferente à sua presença.

O João vai à frente

Acha que sabe tudo sobre o seu amigo João? Prestável e sem problemas em trabalhar em equipa, o João é um líder nato que recorre à sua facilidade para comunicar e à sua energia, segundo os entrevistados. Apesar de ser considerado desorganizado, a curiosidade, o entusiasmo e o espírito aventureiro levam a que o João seja bem-sucedido naquilo a que se propõe.

Não se metam com o Afonso

O seu amigo Afonso é aquele que tem sempre algum argumento suplente na vossa discussão? Pois bem, os inquiridos neste estudo também concordam consigo. Apesar de amigável e sociável, o Afonso é também visto como argumentativo, assertivo, mas por vezes um pouco mente fechada. Pouco extrovertido e calmo, consegue levar as coisas a bom porto, contando para isso com a sua disciplina e auto-confiança.

Tiago, não sejas melodramático!

Pessoas com o nome Tiago são as mais frias dos nomes analisados, sendo este nome considerado pela maior parte como o mais insensível. No entanto, se conhece um Tiago, pode contar com a sua ajuda, pois adora ser prestável. É comunicativo e gosta de aventuras. Para isso prefere manter a mente aberta. Os inquiridos dizem que o seu entusiasmo é inquestionável o que o pode tornar um pouco temperamental. Pode confiar no Tiago e na sua auto-confiança, pois apesar de tudo ele consegue ser de trato bastante agradável e atingir os objectivos a que se propõe, através da sua organização e disciplina.

O que dizem os especialistas

A investigadora e especialista em psicologia clínica Linda Blair explica o porquê de existirem estereótipos: «Uma das formas de lidar com a sobrecarga de informação, um problema bastante presente no mundo atual, é criar ‘atalhos mentais’ e confiar em estereótipos de nomes. No entanto, esses estereótipos são geralmente baseados nalguns indivíduos como figuras públicas e também, muitas vezes, em personagens fictícios de livros ou filmes. Como consequência, raramente se baseiam em pessoas do dia-a-dia. Aliando isso ao facto de que cada um de nós possui características totalmente diferentes, muitas vezes contraditórias, dependendo da situação, constatamos que esses estereótipos têm pouca relação com as pessoas que conhecemos.»

Teste aos estereótipos

Para testar esta teoria, a My Nametags realizou uma parceria com a psicóloga Linda Blair para conduzir uma série de avaliações psicológicas de forma a revelar os traços de personalidade mais dominantes de um indivíduo, num grupo de teste de pessoas com seis nomes.

Usando os tipos de personalidade ‘The Big Five’, que são as cinco categorias utilizadas pelos psicólogos para definir a personalidade humana, o questionário pedia a cada um dos sujeitos que se descrevesse a partir do seu próprio ponto de vista, bem como do ponto de vista dos seus amigos e familiares, para se obter uma perspectiva aproximada da sua personalidade.

Os resultados mostraram que, em muitos casos, os estereótipos estavam totalmente errados. Surpreendentemente, considerando a intensidade dos estereótipos, apenas cerca de 30 por cento das pessoas testadas exibiram as características que esperávamos que tivessem.

Linda Blair acrescenta: «Os testes revelaram que a maioria das pessoas tem uma série de traços de personalidade contraditórios, oferecendo uma explicação possível do porquê de tão poucas pessoas viverem de acordo com seus estereótipos. Por exemplo, durante o teste, houve indivíduos que se descreveram a eles próprios como organizados e desorganizados, dependendo da situação. Isso torna a tarefa de categorizar os indivíduos de acordo com um estereótipo amplo, especialmente com base em seu primeiro nome, bastante difícil.»

«Essas qualidades contrastantes provavelmente serão evidentes em pessoas diferentes em situações diferentes, portanto não há uma lista única de qualidades que possa ser usada para descrever qualquer uma delas com precisão. Por essa razão, é difícil dizer “comporta-te como um João” e não devemos ser tentados a fazer julgamentos sobre pessoas baseadas apenas nos seus nomes, porque certamente sermos induzidos em erro», finaliza.

 

Fonte: My Namegats

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda