Histórias Online

«A minha vizinha bate na parede quando o meu bebé chora à noite»

Histórias Online
publicado há 2 meses
18
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Este é um tema que não deveria ser abordado, porque nem sequer deveria de acontecer. Tenho um bebé de três meses que nunca dormiu uma noite tranquila. Infelizmente tem muitas cólicas, precisa de muito miminho, pede muito colinho. Acredito, ou quero acreditar, que seja só uma fase.

Mas até lá esperava a compreensão dos vizinhos, coisa que não acontece no nosso prédio. Eu e o meu marido até somos um casal extremamente prestável e simpático com todos eles. Azar o nosso termos o quarto colado ao da vizinha mais arrogante do bairro inteiro. Essa senhora, casada e com idade já para ter juízo, tem tido atitudes inaceitáveis para alguém que acaba de ter um filho. Nós ainda estamos a conhecê-lo! É normal em todas as famílias…

De facto temos tido noites muito complicadas. Claro que nos custa saber que os vizinhos também ouvem o nosso bebé, mas não há nada que se possa fazer. Aliás, vai havendo. Já o conseguimos acalmar algumas vezes… mas nem sempre. E são nas piores noites que a senhora dona vizinha dá sinal.

O stress já é tanto e ainda temos de levar com ela! Pega na vassoura, ou lá o que é, e começa a bater na parede com uma violência desumana! A primeira vez que ouvimos, eu e o meu marido nem queríamos acreditar que era a vizinha a fazê-lo… É preciso ser muito insensível para não perceber que é um recém-nascido que ainda se está a ambientar a este mundo, que sofre com cólicas, ou tem outro tipo de desconforto. É a maneira dos bebés comunicarem…

Aconteceu várias vezes… mas quando um dia saio de casa e vejo um papelinho escrito à mão com uma mensagem, aí é que não queria acreditar MESMO! Passo a citar: «Olá vizinhos. Sei que não é fácil cuidar de um bebé, mas talvez não saibam exatamente o que fazer para acalmar esse pequeno ser. Terão de fazer um esforço maior, porque acho que os vizinhos merecem ter descanso. Não somos pais, não temos de levar com os filhos dos outros. Obrigada. Passe bem.»

O coração ia saindo da minha boca. Toda eu tremia. Que situação horrível! E eu não posso fazer nada! O que se faz nesta situação? Não quero acreditar que haja muitas mães a passarem pelo mesmo que eu. Como é que há pessoas assim tão insensíveis? Mudava já de casa! JÁ!

Estou triste, sinto-me incomodada com isto… já é tão difícil gerir as nossas emoções, o stress por não conseguir acalmá-lo e vê-lo a chorar sem parar parte-me o coração. Devia estar apenas preocupada com isso. Em vez de estar preocupada com o que os vizinhos estão a pensar de nós. Que situação, MEU DEUS!!!

Mas tudo vai passar. Tudo passa! Até lá, ela só tem que se aguentar… É um bebé, porra!

 

 

 

Texto: Ana Rodrigues
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda