Histórias Online

Mãe desabafa: «Pai não é babysitter!»

Histórias Online
publicado há 1 semana
1
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

As mulheres colocam uma expectativa irrealista em ser uma espécie de super-mãe, deixando o pai nas sombras. Cooperação entre os pais nem sempre significa 50-50, mas significa que o pai faz parte da equação também. Escrevo para tentar ajudá-la a deixar o seu parceiro ser o protagonista na educação do seu filho tanto quanto você.

Recentemente, quando eu estava a aproximar-me do terceiro trimestre da minha segunda gravidez, o meu marido decidiu que queria fazer uma viagem de uma semana para visitar a sua família na Bósnia. A nossa filha de quatro anos, Evie, estava na escola, então essa era uma viagem que ele teria que fazer sozinho. Ou então isso foi o que eu pensei.

Dias depois, ele diz-me: «Talvez leve a Evie sozinha desta vez.»

Fiquei sem palavras e não entendi porque eu estava com dificuldade em dizer: «Parece incrível, reserva as passagens!» Embora os nossos deveres como pais não estejam divididos 50 a 50 – o meu marido trabalha muitas horas, então eu trabalho em casa – nós os dois fazemos a nossa parte para sermos pais igualmente, seja qual for o sentido de igualdade para a nossa família. Somos uma ótima equipa e confiamos um no outro.

Então, o que estava de tão errado com ele querer levar a nossa filha numa viagem sozinho? Ele cuida da nossa filha quando viajo com amigos aos fins de semana, mas uma semana só com o papá pareceu diferente.

Quando falei com os meus amigos sobre isso, percebi rapidamente que não sou a única mãe que está hesitante em passar o bastão dos pais para o pai. Mas porque estamos tão confortáveis em tratar os nossos parceiros como se eles fossem a babysitter de fim de semana e não um parceiro de criação igual?

A viagem do meu marido nunca aconteceu, então acho que me esquivei dessa situação por enquanto. Mas isso abriu os meus olhos para a facilidade com que nos encaixamos em papéis muito tradicionais e específicos de género quando se trata de pais.

Eu estou em casa a cuidar da nossa filha e o meu marido é o provedor da família. E não estamos sozinhos: as pesquisas descobriram que, quando nasce o primeiro filho, homens e mulheres tornam-se mais tradicionais nas suas atitudes de género em relação à maternidade, bem como em relação a quem trabalha na casa e cuida.

«Quando a mãe passa a tocha para o pai quando chega a casa, geralmente é com ressentimento por ter tido um duro dia de trabalho. Ela está implicitamente a fazer com que o pai sinta que ele não faz o suficiente e a sua paternidade é uma obrigação, e não um prazer», explica Jeanette Raymond, psicóloga licenciada, psicoterapeuta e especialista em relacionamento familiar em Los Angeles.

O meu subconsciente leva-me a acreditar que o meu marido não é o suficiente, então quando ele faz alguma coisa, parece que estou a entregar a minha filha a uma babysitter que precisa de um manual de instruções, em vez de ser ao próprio pai, que é perfeitamente capaz.

(…)

Há algum tempo, Jenny Mollen, autora de best-sellers do NYT, aproveitou o Instagram para falar com os seus seguidores. Perguntaram-lhe se ela se sente sortuda pelo seu marido, Jason Biggs, ser um pai dedicado. A sua resposta: não. «Ninguém diria a um homem: ‘você é tão sortudo por ter uma mulher que alimenta e dá banho aos seus filhos’.»

Realmente, eu acho que as mulheres permitem isso. Como mães, somos consumidas com tanta culpa, seja com os nossos filhos ou longe deles. E então o problema torna-se projetar a nossa culpa nas outras mães ao nosso redor que estão a fazer algo diferente do que podemos fazer. De repente, deixar o pai cuidar da casa por uma noite faz você se sentir uma má mãe.

Khloe Kardashian apareceu no seu Instagram a divertir-se num evento de solidariedade três meses depois de dar à luz a sua filha, True. Um fã comentou: «Quem está a tomar conta da bebé?» com um rosto de emoji de juiz. Khloe respondeu: «O pai está a tomar conta dela enquanto eu estou a tentar ajudar uma organização incrível. Mas o que há de errado com uma nova mãe deixar o papá assumir a responsabilidade dele?»

Os fãs inundaram o feed com palavras de apoio e cumprimentos, mesmo indo tão longe ao ponto de apontar o óbvio: «Não é a década de 1950. Os pais vigiam os seus filhos e as mães são autorizadas a sair.»

 

 

 

Texto: Jenna Autuori Dedic no site Parents
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda