Saúde

Incontinência no pós-parto: Uma realidade muitas vezes escondida

Redação
publicado há 3 anos
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Durante a gravidez é normal as mulheres terem tendência a ir mais vezes à casa de banho e sofrerem de incontinência. Mas se muitas ficam com o problema resolvido após o nascimento do bebé, existem outras que continuam, ou ganham, um novo problema.

Segundo o site CUF, um estudo realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, garante que cerca de 20 por cento das mulheres portuguesas continuam a ter perdas involuntárias de urina seis meses depois do parto.

Incontinência no pós-parto

 

A incontinência no pós-parto é mais comum do que se imagina mas é também um assunto ainda muito «tabu» para grande parte das mulheres. As perdas involuntárias de urina ocorrem devido às alterações do pavimento pélvico, que suporta a bexiga e controla os esfíncteres.

Ana Vieira (nome fictício) é exemplo disso. Não sofreu de qualquer problema durante a gravidez, mas após um parto normal muito complicado, nunca mais foi a mesma. «Dias após a minha menina nascer, ri-me por qualquer motivo e comecei a urinar pelas pernas abaixo sem dar conta. Foi completamente involuntário», começa por contar. Pensou que fosse pelos pontos que levou e pelo que tinha passado no bloco de partos, mas não! A realidade era bem diferente.

A incontinência urinária passou a fazer parte da sua vida. «Espirrava, tossia, ria-me e a urina saía. Comecei a ficar muito assustada, porque o obstetra/ginecologista dizia para eu fazer os exercícios de Kegel e que aquilo passava, ou pelo menos, atenuava», explica. Mas tal não aconteceu. Os exercícios eram feitos e a incontinência continuava. «Sempre pratiquei muito desporto e quando voltei ao ginásio, jurei para nunca mais. Não conseguia sequer saltar que a urina começava a sair. Fiquei assustada, porque um simples saltar à corda, fazia-me urinar pelas pernas como se estivesse super aflita para ir à casa de banho», conta ao site Crescer. Foram meses e meses assim!

Ana marcou, entretanto, consulta com o seu ginecologista que lhe voltou a falar dos exercícios de Kegel, mas também de uma pequena cirurgia. «O Dr. falou-me de uma cirurgia muito simples, mas eu recusei de imediato pois ainda quero ter mais filhos e tenho receio de depois ter de voltar a fazer a cirurgia, apesar do médico dizer que uma coisa nada tem a ver com outra».

Passados três anos e meio do nascimento da sua filha, Ana sente-se melhor – apenas fazendo os exercícios de Kegel -, mas não a cem por cento. Nunca lhe falaram na questão da fisioterapia e é nessa hipótese que está focada agora. «Vou experimentar porque conheço pessoas que já fizeram fisioterapia com o mesmo problema que eu e melhoraram imenso», realça. 

Exercícios de fortalecimento

 

Tratamento

Na maior parte das situações, a incontinência urinária resolve-se naturalmente nos seis meses seguintes ao parto. Contudo, há situações em que esta se prolonga e os músculos pélvicos não conseguem cumprir a sua função. Com o passar dos meses, aumenta o risco de a incontinência se manter vários anos após o parto, tornando-se crónica. O tratamento poderá passar por:

Alteração dos estilos de vida: perda de peso, alimentação saudável, evicção de alimentos irritantes;
Ir mais vezes à casa de banho e treinar a bexiga;
Exercícios/fisioterapia;
Fármacos;
Cirurgia.

 

O site CUF dá a conhecer alguns exercícios que ajudam na recuperação da incontinência pós-parto

 

1 – Exercícios de Kegel

Para começar, identifique os músculos em questão. Vá à casa de banho e suspenda o fluxo de urina. Sentirá que alguns músculos se contraem. Esses são os músculos que terá de exercitar, seja deitada, em pé ou sentada. Respire tranquilamente. Quando inspirar, a barriga deve elevar-se; quando expirar, deve baixar. Ao expirar, contraia com força os músculos do pavimento pélvico, como se estivesse a impedir a saída da urina, durante alguns segundos. Repita várias vezes, mantendo a contração durante cada vez mais tempo. Faça-o duas a três vezes por dia.

2 – Outros

Deite-se de barriga para cima, com as pernas dobradas e os calcanhares apoiados no chão e contraia bem os músculos pélvicos.
Ainda deitada, movimente os músculos da pélvis para a frente e para trás varias vezes seguidas. Na mesma posição, coloque uma almofada entre as pernas e aperte-a, juntando o mais possível os joelhos. Faça estes exercícios várias vezes por dia, antes e imediatamente após o parto. Transforme-os numa rotina.

Atenção!

A dificuldade no controlo das micções pode durar anos após o nascimento do bebé, com implicações a nível físico e emocional, interferindo no sono, no trabalho e nas relações pessoais, e diminuindo substancialmente a qualidade de vida.

 

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Botão calendário

Agenda

Consultar agenda