Gravidez

Saiba mais sobre a gravidez «fora do sítio»

Redação
publicado há 2 meses
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

A enfermeira Carmen Ferreira partilhou um texto no seu site, Bebé Saudável, onde aborda um assunto que afeta algumas mulheres. Saiba mais sobre a gravidez ectópica ou gravidez fora do sítio.

 

Já ouviram falar de gravidez fora do sítio (gravidez ectópica)? É uma situação felizmente, pouco frequente, mas ainda ocorre mais vezes do que gostaríamos. Geralmente o embrião depois de fecundado, passa através da trompa para o útero e aloja-se no endométrio (situado no interior do útero).

Se por algum motivo não acontece esta passagem normal, o embrião pode alojar-se noutros locais do útero e ser perigoso para a mulher. Na maioria das vezes não passa da trompa, outras pode até mesmo ir para a cavidade abdominal ou ovário.

90 por cento dos casos pode evoluir para uma rotura das trompas (caso o embrião se aloje neste local) e não seja detetada atempadamente.

É difícil de diagnosticar e a sua causa, muitas vezes é desconhecida, sendo mais comum em mulheres com algum tipo de obstrução nas trompas ou cirurgias ginecológicas anteriores.

Sintomas:

– Algumas mulheres podem sentir dor (num lado ou ambos) no baixo ventre ou até mesmo irradiar para o ombro
– Atraso menstrual, com algumas perdas de sangue associadas (spotting)

Como se diagnostica?

Se existirem queixas, devem pedir assim que possível observação médica e realizar diversos exames:

– Ecografias
– Análises sanguíneas
– Através de cirurgia

O que acontece nestes casos?

Depende! Temos três cenários, dependendo do estado da mulher e da situação clínica:

– Opção 1: Se a mulher está estável do ponto de vista da hemorragia, a massa anexial não é muito grande, etc… é possível esperar até se dar um aborto espontâneo;

– Opção 2: Caso não aconteça esta situação é possível também administrar medicação e ir avaliando os níveis de Beta HCG no sangue;

– Opção 3: Último recurso… Se a mulher não estiver estável e houver rotura, avança-se com a cirurgia para remoção da trompa afetada.

Como ficará a minha fertilidade?

 

Bom, com menos uma trompa há sempre um compromisso da fertilidade. Mas a outra continuará a funcionar normalmente, à partida. Devem por isso pedir sempre apoio a uma equipa de saúde para vos acompanhar e orientar neste sentido!

As mulheres que passam por esta situação precisam igualmente de apoio emocional para superar esta situação que acaba por ser uma perda… Peçam ajuda e falem do que sentem!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top