Família

O “Quem é Quem?” da matemática

Redação
publicado há 3 semanas
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Inês Ferreira Cruz explica como, em modo férias, sem rotinas, sem horários, sem preocupações, mas com imensos momentos em família, tudo se pode tornar divertido. Jogue ao “Quem é Quem”, mas com a matemática como principal aliada.

O jogo “Quem é Quem?” é conhecido de muitas famílias por ser divertido e permitir bons momentos em família, entre grandes e pequenos!

Constituído por duas bases, cada uma com as mesmas imagens de rostos, há diferentes bonecos, por exemplo, com personagens da Disney,…) e um grupo de cartões extra com as mesmas imagens de rostos, do qual cada jogador deve retirar um cartão sem mostrar ao amigo.

O jogo consiste em tentar adivinhar, colocando questões baseadas nas características físicas de cada rosto, o cartão do adversário.
A ideia é lançar uma pergunta alternadamente que permita ir selecionando as possibilidades… Por exemplo: «Tem cabelo loiro?»

Se o amigo diz que não então podemos deitar para baixo todos os rostos que tivessem cabelo loiro.

«Tem bigode?» Se o amigo diz que sim então deitamos todos os rostos que não têm bigode. Vence o primeiro a descobrir o rosto do cartão do amigo.

A sugestão de hoje é adaptar este jogo à matemática, trabalhando através dele noções como:

– par ou ímpar;
– maior do que;
– maior ou igual a;
– menor do que;
– menor ou igual do que;
– números primos;
– divisor;
– múltiplo

Podemos trabalhar todas estas noções ou só algumas de acordo com a faixa etária das crianças.

Em cada janela em que temos um rosto vamos substituir por um dos cartões numerados.

Criei cartões com os números:
2 9 24 39 100 88 5 7 90 18 6 52 10 15 20 1 17 35 21 6 3 11 25 13

Seguindo as mesmas regras o amigo pode perguntar, por exemplo:
«O número é divisível por 3?»

Se a resposta for afirmativa então deitamos todos os números que não tenham esta propriedade.

Se o nosso filho ainda anda no primeiro ciclo podemos só trabalhar noções como os números pares e os ímpares e as noções de maior do que, maior ou igual do que, menor do que e menor ou igual do que, e/ou trabalhar as tabuadas.

Por exemplo, perguntar:

«O número pode ser encontrado na tabuada do 5?»

Se a resposta é sim, resta-nos deixar para cima os cartões com os números que pertencem à tabuada do 5, ou seja, 5,10, 15, 20, 25, 30, 35, 40…

Se estas noções já estão mais esquecidas na sua memória, envie-me um email que faço chegar-lhe todas as dicas necessárias para recordar estas noções de forma lúdica.

Se isto vai fazer falta na sala de aula de matemática?
Vai! Nem imagina quanto!

Texto: Inês Cruz, professora de matemática e autora blogue Inês Ferreira Cruz

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda