Educação

Youtube Kids: Há vídeos nesta plataforma que apelam ao suicídio… e não só!

Redação
publicado há 3 meses
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

A denúncia partiu de uma mãe da Florida, Estados Unidos da América, que, em julho do ano passado, deu conta de um conteúdo menos próprio nuns desenhos animados no Youtube Kids.

Segundo Free Hess, a meio do episódio, durante alguns segundos, existia um homem que incentivava o suicídio infantil, explicando como é que as crianças podiam pôr termo à vida.

Esta mulher, que é também pediatra, começou a partilhar a informação em vários grupos de redes sociais e o vídeo acabou por ser eliminado da plataforma.

Um problema sem fim

A verdade é que passado meio ano, o vídeo voltou a estar numa plataforma. Desta vez no Youtube. «Isto deixa-me irritada e frustrada. Sou pediatra e vejo, cada vez mais, crianças a automutilarem-se e a tentarem o suicídio“, revelou à estação de televisão CNN. «Não duvido que sejam as redes sociais e [vídeos] como este que estejam a contribuir para isso», disse.

Mas o mais estranho de tudo é que, Free Hess tomou a liberdade de pesquisar mais alguns vídeos no YouTube Kids e… encontrou algo que a chocou. A pediatra encontrou vídeos que apelavam ao suicídio, abusos sexuais, tráfico humano, violência doméstica e uso de armas.

Tudo isso foi dado a conhecer no seu blogue, mas a Crescer mostra-lhe alguns dos vídeos, em baixo.

Cenas de tiros
Tráfico Humano

Suicídio 

 

Comunicado do YouTube

Hess quer que o YouTube faça um trabalho mais trabalhado na exibição de vídeos destinados ao YouTube Kids, apesar de saber que o Google (dono do YouTube) seja um negócio. «Eles podem não ter as metas exatas que eu tenho, mas eu quero que eles respondam melhor quando as pessoas denunciam vídeos ofensivos. Quero coisas ofensivas tiradas imediatamente quando são relatadas», disse.

Em resposta às alegações de Hess, o YouTube disse em comunicado que trabalha para tornar os vídeos no YouTube Kids familiares e leva o feedback dos consumidores a sério.

Em comunicado, o YouTube garante que dão «atenção aos conteúdos problemáticos» e garante que «os vídeos sinalizados são revistos ??manualmente 24 horas por dia, 7 dias por semana.» O comunicado diz ainda que «todos os vídeos que não estejam de acordo com as regras da plataforma são removidos.»

«Também estamos a investir em novos controlos para os pais, incluindo a capacidade de escolher vídeos e canais na aplicação. Estamos a fazer melhorias constantes nos nossos sistemas e reconhecemos que há mais trabalho a ser feito», continua a ler-se.

Pedófilos usam vídeos publicitários do YouTube

Para além dos problemas que abordámos em cima, o Youtube tem outra questão preocupante para tratar. Algumas marcas conhecidas retiraram os anúncios da plataforma após o conhecido bloguer Matt Watson ter alertado para o facto de existirem pedófilos a utilizarem vídeos de ginástica, entre outros, como parte de uma rede de pedofilia.

«Durante as últimas 48 horas descobri um “buraco” cheio de pedofilia “pornô-leve” no YouTube. O algoritmo de recomendação do Youtube está a facilitar a habilidade de pedófilos de se comunicarem, trocarem informações e distribuírem links de pornografia infantil nos comentários. É possível ter acesso a esses vídeos e comentários entrando com uma conta nunca antes usada, através de vídeos inofensivos, em menos de dez minutos, algumas vezes em menos de cinco cliques. Além disso, tenho evidências de que estes vídeos estão a ser monitorizados pelo Youtube, com marcas como McDonald’s, Lysol, Disney, Reese, etc. Essa brecha está errada e algo precisa de ser feito. Isso está a ser monitorizados . A pornografia infantil está a ser negociada, bem como redes sociais e endereços de WhatsApp. O Youtube está a facilitar esse problema. Não importa se eles sinalizam vídeos e desliguem os comentários, esses vídeos estão a ser monitorizados e o mais importante… eles ainda estão disponíveis para qualquer um assistir. Como é que essas marcas reagiriam ao saber que a sua publicidade está a ser exibida nesses vídeos? Deixem que eles saibam que isso é inaceitável», escreveu o bloguer.

Veja o vídeo, que já tem mais de três milhões de visualizações, em baixo… e surpreenda-se.

 

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda