Recém-nascido

«Vou ter gémeos… e agora?»

Redação
publicado há 2 semanas
0
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Se ter um filho gera uma enorme ansiedade, a notícia de ter dois ao mesmo tempo pode ser um eclodir de emoções. Conheça algumas estratégias que permitem cuidar dos gémeos sem medos.

Neste contexto, é fácil surgirem receios, dúvidas e ânsias a dobrar, principalmente se falarmos de pais de primeira viagem, que estejam a experienciar pela primeira vez a arte que é ser pai e mãe. Portanto, vamos aqui explicar estratégias que permitam cuidar dos seus gémeos e dúvidas que possa ter acerca de temas como, por exemplo, o que fazer em relação à amamentação a dois bebés em simultâneo.

Na hora de dormir

Este é um dos passos na nova etapa da vida dos pais e gerir o seu sono com o dos seus filhos não é tarefa fácil. Após o nascimento da criança, esta etapa é referida como a mais cansativa. O bebé acorda a meio da noite e, consequentemente, terá de acordar um dos pais, geralmente a mãe para amamentar. Agora, imagine com dois bebés… Aumenta a dificuldade e o cansaço se não encontrar uma forma de gerir a situação.

Encontre um horário de rotina

O ideal é que encontre um horário em que ambos durmam ao mesmo tempo, pois assim poderá aproveitar esse tempo para também descansar – caso contrário, ficará esgotada!

Deverá criar rotinas calmantes que os ajude a embalar no sono – um banho no final do dia é um bom exemplo –, depois coloque-os para dormir ao mesmo tempo – não é aconselhável que durmam em alturas alternadas, para o descanso dos pais.

Evite adormecê-los ao colo

Por fim, um dos melhores conselhos, que pode tornar-se um dos seus melhores aliados: não habitue os seus filhos a adormecer ao colo, pois revelar-se-á algo difícil de realizar se um dos pais, em alguma circunstância, tiver de o fazer e sozinho. Isto porque não é fácil adormecer os dois ao colo ao mesmo tempo, nem confortável para os bebés. Estimule um pouco de independência, coloque-os no berço antes de estarem a dormir e poderá embalá-los quando se encontrarem deitados. Poderá colocar os dois no mesmo berço, ou um em cada berço, mas preferencialmente próximos um do outro.

E a amamentação?

Normalmente, quando se sabe que se espera dois filhos, uma das questões que surge é: será que vou ter leite suficiente para amamentar os dois ao peito?

A resposta à pergunta é sim. Geralmente, o seu organismo produz mais leite quando é estimulado para isso: quanto mais os seus bebés mamarem, mais leite é produzido. Quando têm fome ao mesmo tempo.

Verificando que pode amamentar os dois bebés sem qualquer problema, surge a questão: que fazer se ambos começarem a chorar com fome ao mesmo tempo? Bom, essa não é uma resposta fácil. Existem várias hipóteses para essa situação. Visto que o bebé irá, em média, querer mamar de três em três horas, poderia nos primeiros dias pedir a ajuda de alguém que pegasse ao colo num dos bebés enquanto amamentaria o outro, o que permitiria que os «relógios» dos estômagos dos bebés ficassem programados para momentos diferentes, facilitando a sua situação quando estivesse sozinha.

O que fazer nas exceções?

Sabendo que não será possível ter controlo absoluto da situação, mas que poderá preparar-se para a maioria das ocasiões: o que fazer nas exceções? Quando, apesar de todo o esforço para que tenham fome em momentos diferentes, mesmo assim, esses horários se misturarem e ambos começarem a chorar ao mesmo tempo?

Para essas ocasiões é sugerido que comece a experimentar posições. Numa altura em que ambos se encontrem acordados, deverá colocar um em cada braço, com a cabeça ao nível do seu peito, até encontrar uma posição confortável, pois é normal que a necessidade de amamentar os dois ao mesmo tempo surja em algum momento.

Coloque algumas almofadas para a ajudar, isto é, para que não tenha de fazer tanta força para manter os braços na mesma posição durante o tempo que demorarem a mamar.

Ajude-se com acessórios

Existe à venda uma almofada para auxiliar a amamentação e que apoia o corpo dos bebés, deixando as suas mãos livres para ajudá-los, o que, obviamente, alivia a força que teria de fazer com os braços para conseguir manter os bebés numa posição confortável.

Por fim, é importante que saiba que o conforto da mãe é fundamental, uma vez que ter dois bebés é mais desgastante do que um. Nos primeiros tempos, pode sentir-se um pouco cansada, mas se for adotando algumas táticas, estas podem tornar-se primordiais para que desfrute dos momentos com os seus filhos com toda a disposição de que necessita.

Gémeos impõem o dobro do trabalho, mas é importante saber que trarão também o dobro da diversão, orgulho e carinho compartilhado.

Gerir o choro

Resolvida a questão de os colocar a dormir, poderão surgir outras dúvidas, como: o que fazer se um deles acorda a chorar? Será que perturba o sono do outro? Depende. Cada bebé tem comportamentos específicos diferentes.

Se um bebé dorme profundamente, mesmo com outros barulhos à volta, outro pode ser mais sensível ao ambiente externo e acordar ao mínimo som. Em primeiro lugar, não fique agitada, sem saber em qual deles pegar primeiro, pois a sua ansiedade é facilmente percebida pelos bebés. Deverá, pelo contrário, acalmá-los primeiro com a sua presença; pegue ao colo se achar necessário e coloque-os de novo no berço. Embale-os, cante e explore momentos que os ajudem a relaxar e voltar a dormir. Principalmente, não se preocupe se um deles tem mais tendência para acordar e com o facto de o sono do outro poder ser perturbado. É sempre benéfico para gémeos estarem juntos no mesmo espaço e, ao fim de algum tempo, eles habituam-se aos padrões de sono um do outro.

Para os primeiros dias Escreva o nome deles numa pulseira antialérgica e coloque-a nos bebés; poderá retirá-la quando se sentir perfeitamente confortável com a situação. Normalmente, no hospital, colocam uma à nascença.

Outra situação que poderá ser uma ajuda é a forma como veste os gémeos; por mais mágico que seja ver os seus filhos vestidinhos de igual – terá muito tempo para isso –, poderá começar por vesti-los de forma diferente para a ajudar a diferenciá-los.

As mães, geralmente, ficam ansiosas para conhecer o ser que fez parte do seu corpo durante nove meses, e quando se deparam com esta dificuldade de reconhecimento, pode surgir um certo desconforto, mas não tem de se sentir culpada por não distinguir os bebés logo no primeiro segundo que os vê – o mais natural é que a ligação entre pais e filhos se desenvolva gradualmente com o cuidado e carinho que lhes transmite. Desta forma, poderá aprender a distinguir os seus bebés ao seu ritmo, com toda a calma e naturalidade que este momento merece.

 

 

 

Fonte e agradecimentos: De Mãe para Mãe
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top