Educação

Regresso às aulas: Como escolher a mochila certa para o seu filho

Redação
publicado há 2 semanas
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Luís Teixeira, médico ortopedista deixa a lista de conselhos para os pais orientarem os seus filhos no regresso às aulas.

No âmbito do regresso às aulas, Luís Teixeira, médico ortopedista e presidente da Associação sem Fins Lucrativos “Spine Matters”, lembra a importância das consequências de uma carga desadequada e contínua durante o período escolar: «Todos sabemos que as nossas crianças continuam a transportar cargas excessivas nos dias de aulas. Os números mostram que há muitos alunos a suportar 15 por cento ou mais do seu peso corporal na carga escolar, uma percentagem já muito elevada e prejudicial para a coluna».

As mochilas das crianças não devem exceder esta percentagem sob pena de provocarem mudanças nos ângulos dos ombros, coluna e membros inferiores.

Partindo deste alerta o especialista deixa uma lista de dicas para os pais seguirem no período de regresso às aulas, nomeadamente na compra das mochilas.

Para além das consequências posturais, o excesso de peso nas mochilas tem vindo a ser apontado como responsável a longo prazo por dores de costas frequentes e consequente falta de concentração nas aulas. «A explicação é simples e reside no esforço, nem sempre consciente, que a criança faz de forma regular. O excesso de carga numa fase de crescimento poderá condicionar uma sobrecarga da coluna que se poderá manifestar anos mais tarde».

As dores nas costas são vulgarmente desvalorizadas, contudo esta é uma situação que deve ser prioritária.

Neste sentido, o especialista deixa oito dicas imprescindíveis aos pais nesta altura do ano:

1 – Ensine o seu filho a moderar o peso da mochila. Quando for preparar a mala para o dia de escola seguinte, procure ensinar ao seu filho a distinguir prioridades. Tudo o que for acessório e não estritamente imprescindível deverá ficar em casa ou nos cacifos, de forma a aliviar o peso transportado.

2 – Pese as mochilas dos seus filhos antes de saírem de casa. Certifique-se que o peso da mochila não excede 15 por cento do seu próprio peso. (Exemplo: Numa criança com 30 quilos, a carga não deve exceder os 4,5 quilos. Esta é uma recomendação que deve ser respeitada de forma rigorosa, gerindo o horário da criança de forma o mais atenta possível.)

3 – Procure mochilas de duas alças e com um bom suporte, em que o peso possa ser suportado uniformemente. Por outro lado, quando impossível de contornar esta medida, a opção pontual deve ser por meio de uma mala com rodas. Ao contrário do que muitas vezes se pensa, esta não é uma solução que resolva o problema, pois apenas o minimiza. No dia-a-dia o controlo da carga transportada é fundamental. Se a mochila tiver um cinto, deve incentivar a criança a colocá-lo.

4 – Malas compartimentadas, de alças largas e confortáveis, adequadas ao tamanho da criança. Desta forma, poderá distribuir o peso uniformemente, proporcionando, um maior conforto ao seu filho. Além das alças, tente que a traseira da mochila fique em contacto com as costas da criança, melhorando o seu conforto.

5 – Objetos mais pesados devem ficar no centro da mochila. Tente dividir o peso, colocando os livros maiores no centro. Já os objetos mais pequenos devem ficar nas bolsas laterais e/ou frontais.

6 – Corrija os seus filhos se a mochila estiver a ser transportada com as alças muito soltas: quando se encontra já perto do fim das costas, a pressão causada na coluna é muito elevada. Todas as mochilas devem ter as alças apertadas e justas para que não haja oscilação de peso.

7 – Esteja atento aos sintomas. Caso repare que o seu filho tem uma postura diferente, marcas das próprias alças da mochila, ou dores de costas recorrentes, consulte um especialista.

8 – Dê o exemplo no seu regresso ao trabalho! Enquanto modelo a seguir e, simultaneamente, a fazer o bem por si mesmo, dê prioridade às mochilas para transporte do computador, em detrimento das malas a tiracolo ou das tradicionais malas de mão. Se o fizer, a criança terá muito maior motivação e vontade de o seguir, e as suas costas também estarão mais resguardadas.

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda