Notícias

Rede social Instagram tira a vida a jovem de 16 anos

Redação
publicado há 4 semanas
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Ninguém quis acreditar no que aconteceu no passado dia 15 de maio, na Malásia. Uma jovem de 16 anos fez uma sondagem no Instagram na qual pedia aos seguidores que a ajudassem a tomar uma decisão entre a vida e a morte.

De acordo com o jornal britânico, The Guardian, 69 por cento dos seguidores votou em morte tendo a rapariga sido encontrada sem vida cinco horas após ter feito a publicação.

O nome da rapariga não foi revelado, nem mesmo a causa da morte. A única informação que foi tornada pública foi a de que se terá suicidado assim que teve conhecimento da decisão das pessoas que votaram na sondagem.

Leia também: Problemas de sono nos adolescentes podem ser resolvidos com menos ecrãs à noite

O advogado, Ramkarpal Singh, já veio a público sugerir que todos os que participaram na votação, a favor da morte da jovem, podem vir a ser considerados culpados pelo suicídio da rapariga. «Será que a rapariga continuaria viva se a maioria dos seus seguidores a tivessem desencorajado? E será que ela teria procurado ajuda se aquelas pessoas o tivessem sugerido? Ou aquele encorajamento à morte serviu, de facto, para influenciar a decisão de se suicidar? Visto que a tentativa de suicídio é crime neste país, talvez a estimulação ao suicídio o seja também», terá avançado o advogado à imprensa local.

Num comunicado enviado à imprensa, o ministro Syed Saddiq Syed Abdul Rahman confessou que esta situação voltou a trazer a público que é importante debater-se a saúde mental na Malásia. «Estou genuinamente preocupado pelo estado da saúde mental dos nossos jovens. É um problema nacional que deve ser encarado com seriedade».

Instagram não fica indiferente à tragédia

Ao saber o que tinha acontecido, a rede social Instagram acabou por reagir. Em declarações ao comité britânico de inquérito sobre a influência das tecnologias, Chin Yee Wong, responsável pela comunicação da imprensa, lamento o que aconteceu. «Temos uma responsabilidade acrescida de fazer com que as pessoas que usem o Instagram se sintam protegidas».

Leia ainda: 8 passos para acabar com o vício das crianças pelos telemóveis e não só

Também Karina Newton, responsável pela política de utilização da rede social, assumiu, na mesma comissão de inquérito, as falhas existentes na plataforma uma vez que o conteúdo da sondagem desrespeita as regras de correta utilização do Instagram e que tal, não deveria ter sido permitida a sua publicação.

Texto: Redação WIN - Conteúdos Digitais; Fotos: D.R.

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda