Recém-nascido

Primeiros dentes: Como aliviar a dor e quando ir ao dentista?

Redação
publicado há 3 semanas
0
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

A erupção do primeiro dente tem início, em média, entre os seis e os oito meses de idade. Os primeiros dentes a erupcionar são os quatro incisivos centrais, dois superiores e dois inferiores.

A erupção mais precoce ou tardia não está necessariamente relacionada com patologia. No entanto, caso a criança não apresente qualquer dente após completar um ano de vida, deverá ser observada por um Odontopediatra numa consulta de Medicina Dentária.

A erupção dos dentes pode dar algum incómodo e sinais como aumento da salivação, vermelhidão das gengivas, tendência para colocar frequentemente objetos na boca, ansiedade, perda de apetite, dificuldade em dormir e eventualmente febre e diarreia.

O desconforto da criança pode ser aliviado limpando a boca duas ou três vezes por dia com uma compressa húmida ou recorrendo a mordedores e géis disponíveis no mercado.

Em certos casos o recém-nascido poderá já nascer com dentes, denominados dentes natais, que depois acabam por dar lugar aos dentes de leite.

Quando realizar a primeira consulta?

A primeira consulta no dentista deve ser realizada quando os primeiros dentes de leite erupcionam, ou até ao primeiro ano de vida.

Esta consulta, para além da observação do estado de saúde oral da criança, é muito importante para sensibilizar os pais sobre a importância dos dentes de leite no desenvolvimento da criança, instruir sobre comportamentos preventivos e bons hábitos alimentares, esclarecer dúvidas sobre higiene oral e a utilização da chupeta e do biberão, bem como detetar hábitos prejudiciais, e ainda estabelecer um programa preventivo adequado ao grau de risco da criança.

Idealmente, quando existe uma boa saúde oral, a criança deve ser observada a cada seis meses, por forma a acompanhar todos as fases de desenvolvimento da dentição. Em situações de elevado risco de cárie, esta periodicidade deve ser reduzida para intervalos mais curtos.

Desta forma, além da importância do acompanhamento do desenvolvimento e da vertente preventiva, a criança fica desde cedo familiarizada com a consulta de medicina dentária, criando com o médico uma relação de confiança.

Se possível, a primeira consulta não deve ser realizada apenas num momento de urgência. É comum os pais adiarem a primeira consulta até ocorrer uma situação imprevisível e de carácter urgente. As crianças que só vão ao dentista quando existem problemas, rapidamente começam a associar a ida ao consultório a más experiências. Se possível, a primeira consulta deverá ser preventiva e revelar-se uma experiência desejavelmente divertida.


Texto: Rita Ramos, do Departamento de Odontopediatria da MALO CLINIC Lisboa

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda