Gravidez

Preparar um parto em casa: Enfermeira desmistifica a ideia de que é um processo perigoso

Filipa Rosa
publicado há 4 meses
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

São cada vez mais as mães que decidem ter um parto em casa, no conforto do lar. Tomar a decisão não é fácil, mas a enfermeira Marília Pereira desmistifica a ideia de que é um processo perigoso e conta ao site Crescer toda a preparação.

Marília Pereira, enfermeira há 17 anos, já acompanhou vários partos em casa ao longo do último ano e «felizmente» todos correram na perfeição, como nos recorda. «Sou parteira há 11 anos, mas ao domicílio apenas há um ano. Todos os partos que acompanhei correram bem. Quando uma mulher decide parir em casa, é importante que o companheiro (a) esteja em acordo. É fundamental haver concordância no casal, porque a parte emocional influencia muito este processo», explica.

O primeiro passo

As consultas no terceiro trimestre da gravidez são fundamentais. E a presença do pai também. «O marido deve acompanhar as consultas todas na gravidez. O pai ainda é um elemento muito esquecido e não devia, porque é ele quem deve transmitir serenidade à mulher», diz-nos.

Depois de falarem bastante, os futuros papás devem tomar a decisão e escolher uma boa equipa médica. «A dupla de parteiros é fundamental, até porque é importante perceber se estão reunidas as condições. Temos de ter em conta o historial médico da mulher, os partos anteriores, se há antecedentes obstétricos ou alguma patologia… Mas cada equipa difere no método de trabalhar e preparar um parto», conta-nos Marília Pereira, salientando a importância de uma entrevista inicial após a escolha da equipa de parteiros.

Se está grávida e planeia fazer um parto em casa, espreite o blogue da enfermeira Marília Pereira, O Bebé Sabe, e o site da Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e no Parto, onde encontra toda a informação necessária sobre partos em casa, a sua segurança e lista de parteiros.

Quem está presente?

Para além da doula, que é a primeira pessoa a quem a grávida deve ligar assim que há ruptura da bolsa, deverão estar também presentes na hora do parto duas enfermeiras e o companheiro (a). Há quem opte ainda por convidar um fotógrafo ou repórter de imagem. Em alguns casos, há quem faça questão de ter os filhos presentes, mas depende muito das idades.

LEIA TAMBÉM: Partos em casa: 20 fotografias impressionantes que conquistaram o mundo

Os riscos de ter um parto em casa

Nenhuma mulher é livre de ter um parto difícil com complicações na hora do nascimento do bebé. Por isso mesmo, há duas regras que são cruciais, segundo explica a enfermeira e parteira. «A casa da pessoa não deve estar a mais de 30 minutos de um hospital com maternidade. Se a distância for superior, terá de haver uma ambulância à porta de casa e os bombeiros da freguesia terão de ter conhecimento do parto», revela a enfermeira Marília, que garante que os riscos são muitos baixos de algo correr mal. «Se houver um bom historial médico e se a mulher estiver bem preparada a nível psicológico, tem tudo para dar certo.»

Os cuidados a ter

De modo geral não há grandes cuidados a ter em casa. Na hora do parto, é importante que as pessoas presentes estejam calmas para que a grávida esteja num ambiente descontraído. A pouca luz e o silêncio são também bastante importantes, segundo conta a enfermeira.

A grávida poderá alimentar-se sempre que quiser, principalmente alimentos energéticos, e ingerir muitos líquidos, como água e chá.

É importante que a casa esteja à temperatura ambiente e que a mãe esteja confortável.

Não há qualquer medicação envolvida, mas a equipa vai sempre prevenida, em caso de hemorragia no pós-parto.

O alívio da dor

Para Marília Pereira, é fundamental falar da dor no parto. «Nunca minto nas consultas na gravidez. A dor é inevitável, mas não faço um drama. O importante é saber como controlar essa dor, encontrando estratégias naturais para aliviar a dor», refere. «A dor depende muito de pessoa para pessoa. Deve ser encarado como um aliado, uma pista para a hora do parto.»

E o que pode aliviar a dor na hora do parto? «A mudança de posições ajuda muito, tal como o yoga durante a gravidez. Praticar esta modalidade, tal como outro tipo de exercício físico, ajuda a manter a forma e a controlar a respiração, a ansiedade e a postura. A água também relaxa imenso, quer seja numa piscina ou no chuveiro. E as massagens! São maravilhosas na hora do parto.»

No fundo, não há que ter pressa. «Dar tempo é muito importante. Dar tempo ao bebé para nascer. Quando ele quiser, virá ao mundo.»

E depois do parto?

Se o parto em casa correr bem, mãe e filho não precisam de ir ao hospital, até porque o teste do pezinho é feito pelas próprias enfermeiras que acompanham o nascimento do bebé. A consulta ao pediatra é fundamental na primeira semana de vida do recém-nascido.

O casal pode ainda optar por receber a visita da enfermeira Marília Pereira após 48 horas o parto. «Gosto de ir sempre visitar o bebé e saber como tem passado, se está a pegar bem na maminha, se não tem cólicas…

 

Fotos: Birth Becomes Her

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda