Recém-nascido

O que é um bebé prematuro e que hipóteses tem de sobreviver?

Redação
publicado há 3 meses
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

A experiência de ter um bebé prematuro é um dos momentos mais stressantes que qualquer família e relação pode ter de enfrentar ao longo das suas vidas. Saiba o quão complexa pode ser a prematuridade.

Mas, afinal, quando é que um bebé é considerado prematuro? Segundo o site XXS – Associação Portuguesa de Apoio ao Bebé Prematuro, a duração normal de uma gravidez é de 37 a 42 semanas. Quando os bebés nascem antes das 37 semanas de idade gestacional, então estamos perante um bebé prematuro ou pré-termo. Os bebés prematuros, principalmente os que nascem antes das 35 semanas de gestação ou que são muito pequeninos, necessitam de uma atenção especial e de cuidados extraordinários para conseguirem amadurecer biologicamente e sobreviver fora do ambiente protector que é o útero da mãe.

LEIA TAMBÉM: O “murro no estômago” de ter um filho prematuro, depois de sonhar com um bebé perfeito

«A colocação dos bebés numa incubadora, ou num berço aquecido, ajudará a manter a sua temperatura corporal, um ventilador ou um respirador ajudá-los-á a respirar e receberão a alimentação necessária através de um tubo que é colocado no narizinho, no estômago ou numa veia», pode ler-se no site que ajuda pais de bebés prematuros.

As possibilidades de sobrevivência de um bebé prematuro estão condicionadas pela sua idade gestacional, o seu peso ao nascer e pela presença de problemas de saúde significativos quando do seu nascimento (respiratórios, cardíacos, infecciosos, malformativos, etc.). «De todos, o mais importante é, sem dúvida, a idade gestacional, uma vez que esta determina a maturidade dos órgãos do vosso bebé. O limite da idade gestacional tem vindo a aumentar cada vez mais, de tal forma que, actualmente, pode considerar-se viável um recém-nascido a partir das 23/24 semanas», explicam.

Em geral, ao início, as incapacidades/sequelas são difíceis de prever, segundo avança o mesmo site. Existem fatores que aumentam o risco, bem como outros que só se manifestam após alguns dias/semanas de internamento. De acordo com a evolução do bebé e os problemas que este apresente, o médico irá informando acerca das possibilidades de sequelas futuras, se bem que algumas delas só poderão ser diagnosticadas em etapas posteriores da vida da criança.

LEIA AINDA: Neonatologia: O texto que reconhece o trabalho dos enfermeiros que cuidam de bebés prematuros

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda