Histórias Inspiradoras

Não há dúvidas: O site Crescer encontrou “O Melhor Pai do Mundo”

Filipa Rosa
publicado há 6 meses
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

«Acredito que, se um Pai amar incondicionalmente os seus filhos, vai ouvir dizê-los “Pai, tu és melhor Pai do Mundo”.» Quem o diz é Márcio Pedro Nogueira, autor do blogue O Melhor Pai do Mundo e ativista pela afirmação do papel do Pai na educação dos filhos. Leia a entrevista ao site Crescer.

Márcio é pai de Diogo, de nove anos, e Maria, de três.

Site Crescer – Como surgiu a ideia de lançar um blogue?

Márcio Pedro Nogueira – Sempre gostei de relatar momentos da minha vida através da escrita. São relatos que ficam para a vida e se uma fotografia nos ajuda a visualizar, a escrita coloca-nos dentro da história. O blogue nasceu de um desses relatos, aliás o mais importante de todos – quando fui Pai pela primeira vez. Essa foi a minha primeira história, mas só comecei a publicar uns anos mais tarde quando senti que o Pai precisava de uma voz e que a sua perspetiva sobre a educação dos filhos tinha de ser mostrada ao Mundo.

A sua mulher costuma opinar sobre os temas?

Sim, claro. O blogue é muito familiar. Eu escrevo, mas todos colaboram, seja com inspiração, seja mesmo com ideias concretas. A Mãe é uma das personagens principais de todas as histórias.

Quais os textos de maior sucesso?

Sem dúvida aqueles em que os meus seguidores se reveem. Não escrevo para que todos concordem comigo, escrevo a minha forma de ver as coisas. Gosto do texto “Pai, esta história é só para Pais” por chamar a atenção dos homens que deixam passar esta oportunidade de viverem a 100 por cento esta experiência. O texto do “Pai, tu és o melhor amigo” onde defendo que podemos ser os melhores amigos dos nossos filhos e ao mesmo tempo sermos Pais. E também o “Pai, quando for Pai quero ser como tu” que descreve uma carta que escrevi ao meu Pai antes de eu próprio ter filhos.

Como recebeu a notícia que ia ser pai pela primeira vez?

Estávamos em viagem e a Mãe sentia-se cansada e notava que algo diferente se estava a passar. Regressámos a Portugal e, sem eu saber, ela foi comprar um teste de gravidez. As mulheres têm o tal sexto sentido e quando são Mãe fica ainda mais apurado. Fez o teste e mostrou-me o resultado. Quando vi, senti desde logo uma enorme energia de que a partir daquele momento a minha vida seria diferente. E assim foi.

O que precisa um Pai para ser perfeito para os seus filhos?

Primeiro de tudo, o Pai tem de perceber que nunca será perfeito. A busca pela perfeição não nos ajuda, apenas nos pressiona. Ser Pai é sermos nós próprios, adicionando muito amor a tudo o que fazemos com os nossos filhos. Uns dias melhores, outros menos bons, aquilo que mostramos aos nossos filhos tem de ser o mais próximo com a realidade e a perfeição não existe porque nunca lá chegamos.

LEIA TAMBÉM: «Pai, és o meu herói!»

Ser pai de menina é mais difícil do que ser de menino?

Imagino que ser Pai de menina traz outros desafios. A minha filha tem apenas três meses e, por isso, ainda não posso ter opinião formada. Ser Pai de menino aproxima-nos da nossa infância como rapazes. Somos muito lineares nos gostos e um rapaz assimila muito rapidamente aquilo que o Pai faz e olha para ele como um exemplo. Nas meninas ainda não sei, mas acredito que sejam mais carinhosas e que a proximidade do Pai lhes traga uma sensação de segurança, daí se dizer que ficam mais chegadas ao Pai.

O que mudou em si desde o dia em que foi Pai pela primeira vez?

Aprendi a teoria da relatividade (risos). Tudo passa a relativo. Trabalho, problemas, conquistas, tudo fica relativizado (nem sei se esta palavra existe). O nosso ponto de referência no raciocínio são os filhos, parece que os nossos olhos mudam o foco. Hoje sou mais ponderado, mais tranquilo, mais decidido e menos hesitante, mais confiante… considero até que sou uma melhor pessoa.

Costuma receber dúvidas de outros pais à beira de um ataque de nervos?

Sim, é frequente receber comentários de Pais e também de Mães. No caso das mulheres, recebo comentários de admiração por verem um homem expor os seus sentimentos como eu o faço. Outras, porém tentar comparar as atitudes do Pai com as suas, querendo acreditar que a Mãe terá sempre o papel principal. Os homens admiram a minha confiança e muitas vezes pedem-me conselhos para lidar com a pressão, seja do nascimento que se aproxima, seja pelo dia-a-dia nem sempre fácil.

Como tem sido o feedback do público?

Surpreende-me que após quatro anos de ter começado o blogue ainda não tenham surgido mais Pais homens a fazer o mesmo. Este acaba também por ser um dos feedbacks mais frequentes, elogiam a forma como mostro a perspetiva do Pai. Depois, saliento que os meus seguidores gostam da minha mensagem positiva, descontraída, mas ao mesmo tempo focada e séria. Finalmente, recebo comentários sobre a forma como consigo que o Pai seja o personagem principal do blogue, sem ter a necessidade de expor os meus filhos ao mediatismo.

Aconselha também as mães a lerem o blogue?

As Mães são o meu público principal. As mulheres são muito mais ativas na busca por referências na educação dos seus filhos. Os homens ficam mais recatados, acabam por ler, mas são muitos aqueles que lhes custa admitir que seguem um blogue sobre parentalidade. É quase como o mito de que os homens quando se juntam não falam dos filhos. Falam e muito porque eu sei disso.

Informações úteis:

Blogue: www.omelhorpaidomundo.pt
Facebook: www.facebook.com/omelhorpaidomundo.pt
Instagram: www.instragram.com/omelhorpaidomundo.pt

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda