Notícias

Mãe injetava veneno no filho e dizia que era água benta

Redação
publicado há 5 meses
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Patrícia R., uma bombeira de 27 anos, foi apanhada pela Polícia Judiciária a injetar clorofórmio no soro do filho, de sete anos. Quando confrontada pelas autoridades, a mulher disse tratar-se de água benta. O veneno é um gás tóxico e corrosivo que pode provocar paragens respiratórias.

A mulher foi apanhada pelas autoridades no Hospital D. Estefânia, em Lisboa, quando o menino já estava internado devido à administração do veneno que quase lhe tirou a vida.

Operação de vigilância no Hospital D. Estefânia de forma a apanhar a mulher em flagrante

A Polícia Judiciária e um grupo muito restrito de profissionais de saúde montaram, em tempo recorde, uma operação de vigilância no Hospital D. Estefânia de forma a apanhar a mulher em flagrante.

Segundo avança a uma publicação Luís Varandas, diretor clínico adjunto da unidade, «a situação levantou suspeitas logo à entrada», referiu. «Para o pediatra, o relato da mãe era pouco coerente e a história não batia certo. As autoridades efetuaram uma ação muito discreta, para que a cuidadora não desconfiasse», sustentou o médico.

Conheça todos os pormenores desta história, no Portal de Notícias Impala.

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda