Notícias

Mãe que sofreu 7 abortos inclui os seus “anjinhos” em foto de família e emociona

Filipa Rosa
publicado há 11 meses
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Whitney Billings está a emocionar o mundo com a sessão fotográfica que fez com o marido e os dois filhos. Numa das fotos, a mãe decidiu homenagear os sete bebés que perdeu.

O casal já tinha dois filhos, uma menina de quatro anos e um menino de dois, quando decidiram aumentar a família. Como Whitney nunca teve qualquer problema nas duas gravidezes, achou que não iria ter dificuldades ao tentar ter um terceiro filho. Mas enganou-se.

Durante dois anos sofreu sete abortos espontâneos. As perdas ocorreram entre as cinco e as oito semanas de gestação. «Nunca se torna mais fácil aceitar. A cada perda eu ficava deprimida, culpava-me pelo que tinha acontecido. Cada vez que acontecia, ia para um lugar e ficava lá, triste… E era bem difícil sair dali», contou Whitney em entrevista ao portal CafeMom.

LEIA TAMBÉM: Catarina Raminhos sofreu 2 abortos e confessa: «É uma pena este assunto ser tabu»

O casal realizou uma série de exames, mas os médicos não conseguiram descobrir a causa das diversas perdas. Agora decidiram avançar com a adoção. E para celebrar esta nova fase e os dez anos de casados, realizaram uma sessão fotográfica emocionante.

Com a ajuda da ferramenta Photoshop, Whitney e Justin decidiram homenagear os sete filhos que perderam, colocando-os numa das imagens. «Eu queria uma foto que captasse e honrasse os bebés que eu perdi nos últimos dois anos. Sou grata por cada uma das gestações e até mesmo por cada dor da perda que o meu corpo passou, porque isso fez-me ver que as gestações foram reais… que os nossos bebés foram reais», relatou Whitney.

«Eu quero que as pessoas saibam que estes bebés que perdemos existiram! Eles eram reais. Quando eu sofria um aborto espontâneo, as pessoas diziam coisas como: “Mas tu só estavas com seis semanas, não foi uma grande perda”. Isto está errado. Não importa o tempo de gestação, seis semanas, 12 semanas, 27 semanas, era um ser a formar-se e era real. Espero que a minha foto e a nossa história ajude as pessoas a falarem mais sobre perda gestacional. As mulheres não devem sentir-se envergonhadas por perderem um bebé, elas devem sentir que têm com quem contar e conversar numa situação assim.»

LEIA AINDA: A desvalorização do aborto: «O outro bebé nunca existiu!»

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda