Saúde

Injeção à nascença: Vitamina K, o suplemento mistério!

Redação
publicado há 3 meses
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

A enfermeira Cátia Godinho, do projeto A Nossa Mãe é Enfermeira, escreveu um artigo sobre a importância do protocolo de administração da vitamina K na prevenção da doença hemorrágica do recém-nascido.

 

O artigo (que pode ler aqui) explica de forma muito sucinta o que é a doença hemorrágica do recém-nascido, devido a um déficit de vitamina K, a coagulação sanguínea fica comprometida e o recém-nascido fica sujeito a várias hemorragias graves, que podem ser externas (por exemplo, pelo coto umbilical), ou internas (cerebrais, abdominais, etc). É uma doença potencialmente fatal.

Por isso, há largos anos, no mundo médico decidiu-se instaurar um protocolo de administração de vitamina K a todos os bebés como forma de prevenção da doença hemorrágica do recém-nascido por déficit congénito de vitamina K. E a taxa de incidência desta doença desceu vertiginosamente.

Assim, atualmente todos os bebés recebem à nascença este suplemento. A forma como o recebem depende muito do país em que vivem: há países que optam por uma única dose intramuscular à nascença, outros países optam por três doses orais: uma à nascença, uma entre o 3.º e o 5.º dia de vida com o teste do pezinho, e a última com um mês de vida.

Os estudos têm mostrado taxas mais baixas de doença hemorrágica do recém-nascido nos países onde é administrada uma única dose intramuscular, razão pela qual em Portugal continua a ser o método privilegiado.
Já sabia que havia uma grande lacuna na informação aos pais sobre este suplemento e o respetivo protocolo, mas fiquei completamente estupefacta quando percebi que na verdade, informar os pais sobre este assunto é a exceção e não a regra.

Ou seja, é administrado ao bebé um suplemento importante, sem conhecimento/consentimento dos pais. E isto é grave. Aliás, é muito grave. Ainda mais grave porque ao que parece em Portugal, a administração da vitamina K não fica sequer registada no livro de saúde do bebé.

Assim, depois de publicar o artigo sobre o assunto, tive dezenas de mães a dizerem que o seu bebé não recebeu o suplemento, porque ninguém falou sobre isso nem está registado.

No entanto, sabemos que em Portugal TODOS os bebés recebem esse suplemento excepto em caso de oposição expressa dos pais, ou em casos muito raros, problemas de saúde do bebé que assim o justifiquem.

Por isso, se não sabe se o bebé recebeu esta vitamina, o mais provável é mesmo que o bebé tenha recebido mas que ninguém a tenha informado. Se tiver dúvidas fale com o seu pediatra, médico de família ou enfermeiro.

A falta de informação é uma grande falha dos profissionais. Não leva mais que alguns minutos a passar a informação aos pais, e todos ganham com isso.

Por cuidados realmente mais centrados nas famílias, porque mesmo os protocolos TÊM de ser executados com consentimento informado!

 

Texto: Cátia Godinho do projeto A Nossa Mãe é Enfermeira

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda