Saúde

Herpes Labial: Não desvalorize o vírus! Saiba como prevenir e tratar

Redação
publicado há 4 semanas
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

O herpes labial é uma infeção contagiosa e crónica, causada pelo vírus herpes simplex, que apresenta episódios latentes (em que o vírus está adormecido e não existe lesão visível) e episódios ativos.

É quando as lesões estão à vista que o risco de contágio é maior. Mas, quando elas desaparecem, esse risco por vezes mantém-se: é que mesmo latente o vírus pode continuar a ser transmitido. Além disso, há infeções sem sintomas: o vírus pode estar ativo sem que haja comichão, dor ou lesões. Beijos, partilha de objetos de uso pessoal como lâminas de barbear, toalhas, pratos, copos e talheres, batons e outros cosméticos constituem uma porta de entrada do vírus no organismo.

O herpes labial é uma infeção contagiosa e crónica, causada pelo vírus herpes simplex, que apresenta episódios latentes (em que o vírus está adormecido e não existe lesão visível) e episódios ativos.

É quando as lesões estão à vista que o risco de contágio é maior. Mas, quando elas desaparecem, esse risco por vezes mantém-se: é que mesmo latente o vírus pode continuar a ser transmitido. Além disso, há infeções sem sintomas: o vírus pode estar ativo sem que haja comichão, dor ou lesões. Beijos, partilha de objetos de uso pessoal como lâminas de barbear, toalhas, pratos, copos e talheres, batons e outros cosméticos constituem uma porta de entrada do vírus no organismo.

Apostar na prevenção

O herpes labial é crónico, mas é possível prevenir. O que passa por ter alguns cuidados consigo e com os outros:

  • Evite o contacto direto (beijos, por exemplo) sempre que as lesões estejam presentes, sobretudo com crianças e pessoas como sistema imunitário deprimido;
  • Não partilhe objetos de uso pessoal (como por exemplo utensílios usados nas refeições e higiene);
  • Lave sempre bem as mãos e evite levá-las a outras partes do corpo (sobretudo aos olhos e genitais) pelo risco de alastramento a outras zonas do corpo;
  • Não pratique sexo oral, mesmo com preservativo, caso apresente lesões ativas;
  • Evite os potenciais fatores de reativação do vírus – use sempre protetor solar.

Ajuda para cicatrizar

É o que fazem os medicamentos utilizados no tratamento do herpes labial: de aplicação tópica (local), sob a forma de creme, gel ou pomada, aliviam os sintomas e aceleram a cicatrização das lesões. São medicamentos não sujeitos a receita médica, mas que não dispensam o aconselhamento farmacêutico.

A sua ação pode ser complementada com a utilização de outros produtos, nomeadamente pensos que se aplicam sobre as lesões: não combatem o vírus, mas aliviam o desconforto e ajudam a disfarçar as marcas do herpes.

Quando os sintomas são muito evidentes e de longa duração, pode ser necessário consultar o médico. Em alguns casos, este pode prescrever outros medicamentos antivíricos sujeitos a receita médica (por exemplo, em comprimidos).

A Farmácia é um espaço de aconselhamento e terapêutica onde encontra profissionais que o podem orientar sobre as alternativas de tratamento disponíveis e sobre o modo mais correto de as utilizar, reencaminhando-o para o médico quando necessário. Não se esqueça: procure o seu farmacêutico e informe-se sobre os cuidados a ter para prevenir a infeção e contágio e esclareça as suas dúvidas sobre o tratamento adjacente!

Fonte: Farmácias Portuguesas

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda