Histórias Online

«Há beijos que só uma mãe sabe dar»

Histórias Online
publicado há 2 semanas
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

No outro dia, imersa no mundo das redes sociais (quem, de vez em quando, não se vê absorto nas partilhas alheias?), os meus olhos pararam numa foto que me chamou a atenção: uma mãe num chuveiro com os filhos, sendo um, um bebé de colo e uma menina de três ou quatro anos, em pé, ao seu lado. Não aparecia a cara de ninguém. E não, não era uma foto sensual, que pudesse suscitar polémica. Era uma foto linda, muito linda. Mais linda ainda era a frase que a acompanhava.

Infelizmente, não gravei o nome de quem a postou para revisitá-la. Também não tirei um “print” do ecrã do telemóvel; então, vou reproduzir a frase, mais ou menos como me lembro, porque fez todo o sentido para mim. E se quem me lê é mãe, também fará sentido, certamente, para si. Dizia algo assim: «Uma mãe deve sempre sentir-se especial… afinal, ela representa tudo na vida dos  filhos».

O texto dirigia-se, claro, a mães com filhos pequenos. Aos nossos filhos, já maiores, entregamos para o mundo, inescapavelmente… Faz parte da vida, de uma forma literal. Essa rutura é gradual, e às vezes dolorosa, porém necessária e inexorável.

Enquanto pequeninos, preenchemos todo o espaço dos seus coraçõezinhos e mentes. É como se o globo terrestre tivesse a foto do nosso rosto estampada em toda a sua extensão. Somos terra e água. E também somos ar e fogo. Todos os elementos fundidos num só ser.

Leia também: «Mamã, uma mãe tem de amar os dois filhos de maneira igual!»

Tudo isto faz-me pensar no olhar de devoção da minha pequena Giovanna, hoje com três anos. Ela olha-me com adoração: no seu mundinho, sou a expressão máxima da beleza, da inteligência, da ternura e do amor. Sempre que a Giovanna tem qualquer dor, física ou emocional, sou a primeira a ser chamada. O meu colinho é milagroso, assim como meus beijinhos… «Bateste com o bracinho no sofá? Vem cá que a mãe dá-te um beijo para parar de doer». E para. Na mesma hora. Nessa idade, ainda é possível secar as lágrimas com beijos. Beijos que só uma mãe sabe dar.

O amor dela é fiel: pode estar rodeada das pessoas mais queridas e amadas, mas a mãe é a mãe. Esse sim é o significado de ter poder: como não se sentir especial, querida, amada, respeitada, festejada, se o seu filho quer apenas o conforto dos seus braços para tirar aquela sensação de medo e dor que o aflige? Como não se sentir especial, se todas as pequenas e grandes conquistas eventualmente ocorridas longe dos seus olhos, são com você partilhadas no primeiro instante em que o seu filho te encontra?

É por isso que muitas vezes queremos que o tempo dê uma trégua. Filhos pequenos dão muito trabalho: eles sugam a nossa energia. Querem a sua essência. Toda a sua atenção. Só que eles crescem, e dá saudade o cheirinho deles, as mãozinhas gordas, os bracinhos que te envolvem num abraço que diz tudo, da boquinha lambuzada, das palavras ditas com a “língua presa” ou de forma errada (e que nos esforçamos para corrigir e ao mesmo tempo achamos tão lindo…).

Leia ainda: «Todas as mães precisam de um refúgio»

Por falar em atenção, a Giovanna, por exemplo, coloca a carinha à minha frente quando estou a assistir a um filme na televisão. O que, afinal, pode ser mais interessante para mim do que ela própria? O cordão umbilical que nos une ainda está ali, pulsando. Somos uma só. A diferença é que, com o passar dos anos, os nossos filhos continuam a ser o nosso mundo, e a recíproca já não é mais verdadeira. Sempre seremos especiais, claro… «Mãe é mãe», não é assim que se diz? O facto é que o tal globo terrestre apresentará outras cores, cheiros e sabores. E lá vão eles experimentar tudo.

Nós continuaremos por aqui. Basta que nos chamem. Há uma outra regra universal no mundo da maternidade: numa certa altura da vida, o seu filho torna-se atemporal. Podem ter qualquer idade, mas serão sempre nossos bebés.

Texto: Marcella Bisetto, mãe, advogada e escritora apaixonada

Instagram

@mami_aos_43

@una_mama_de_brasil

Facebook

Mami aos 43

Una Mamá de Brasil

Blogue

www.mamiaos43.com.br

Autora do livro (disponível nas lojas Amazon, em versão digital, no mundo inteiro)

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda