Saúde

Frieiras: Como reconhecer, prevenir e tratar

Redação
publicado há 3 anos
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Na altura de mais frio, são muitas as pessoas que sofrem de frieiras. O site CUF explica o que são estas lesões que afetam mais gente do que se possa imaginar.

 

As frieiras consistem numa lesão da pele resultante da ação física do frio sobre os vasos sanguíneos superficiais. À superfície da pele existem pequenos vasos por onde o sangue circula, permitindo uma adaptação à temperatura ambiente. A contração dos vasos pelo frio é fisiológica, porém há pessoas mais sensíveis do que outras e isto impede a circulação do sangue até às extremidades do corpo.

Como tal, a pele dessas zonas não aquece e surgem os sintomas característicos das frieiras típicas do inverno e das terras mais altas.

Sintomas

 

As frieiras têm sintomas bastante característicos e desagradáveis, tais como:

– Pele fria e vermelha;
– Pele dormente, dura, branca ou pálida (por vezes azulada ou púrpura);
– Bolhas;
– Inchaço (pode aparecer ao aquecer as mãos);
– Prurido, por vezes intenso;
– Dor;
– Fissuras

Onde surgem as frieiras

 

As frieiras são mais frequentes nas regiões distais das extremidades, designadamente os dedos das mãos e dos pés, nariz e orelhas, podendo aparecer noutras localizações, embora com menos frequência.

Fatores de risco

 

Algumas circunstâncias contribuem para o aparecimento de frieiras, tais como:

– Viver num local com clima frio, seco e ventoso;
– Lavar muitas vezes as mãos com águas frias, por exemplo na realização das tarefas domésticas;
– Ter uma profissão que obrigue a ter as mãos durante muito tempo em água ou a mexer em gelo ou produtos congelados;
– Sujeitar-se a diferenças de temperatura acentuadas num curto espaço de tempo;
– Fumar e/ou beber álcool (vasoconstrição periférica);
– Doenças que dificultem a perceção da temperatura da pele ou que interfiram na resposta ao frio, como a diabetes.

Prevenção

 

Há uma série de medidas que podem ajudar a prevenir o aparecimento de frieiras:

– Hidrate bem a pele;
– Não se exponha demasiado ao frio, à humidade e ao vento ou limite o tempo de exposição;
– Use roupas adequadas à estação e à temperatura ambiente, protegendo bem as zonas do corpo mais expostas;
– Não use calçado ou roupas apertadas;
– Não fume e evite alimentos com cafeína: o tabaco e a cafeína contribuem para a constrição dos vasos sanguíneos, o que está na origem das frieiras;
– Beba água, faça uma alimentação saudável e evite os açúcares, que potenciam a inflamação;
– Faça alguma atividade física.

Tratamento das frieiras

 

Para prevenir e tratar as frieiras, deve proteger-se do frio e hidratar bem as mãos. No entanto, saiba que deve consultar o médico nas seguintes situações:

– Se a pele começar a ficar esbranquiçada ou pálida e com bolhas;
– Se sentir dificuldades motoras na mobilidade ou dor intensa na área afetada;
– Se os sintomas (por exemplo: vermelhidão, dor) se agravarem ou se surgirem novos sintomas;
– Se tiver febre.

Complicações

 

Em casos mais complicados, se não forem prevenidas ou devida e atempadamente tratadas, as frieiras podem provocar danos nas camadas mais profundas da pele, lesões nos tecidos e nos músculos, problemas nos ossos e até infeções.

Os danos podem até ser permanentes e irreversíveis por processos de isquemia, e pode haver morte dos tecidos por falta da circulação.

 

Texto: Site CUF

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda