Saúde

O seu filho não se adapta à nova escola?

Redação
publicado há 1 semana
0
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Uma nova escola é todo um mundo desconhecido. Mas, geralmente, ao fim de poucos dias uma criança já sabe o caminho até à sala de aula, onde é o recreio e já fez novos amigos. No entanto, para outras crianças, esta mudança pode ser uma verdadeira provação. Conheça os sinais de alarme que denunciam uma adaptação mais difícil à nova escola.

Os sinais

Dores de barriga, de cabeça ou no peito, mal-estar, choro e, até, resistência física, são sinais típicos daquilo a que os especialistas chamam «recusa escolar». Muitas vezes a criança queixa-se sem mencionar que não quer ir à escola. Noutros casos, pode dizê-lo explicitamente. «Curiosamente», os sintomas passam pouco depois e nunca se manifestam nos fins de semana.

Se este é o caso do seu filho, a primeira coisa a fazer é conversar com ele e tentar perceber o que se passa. Talvez seja por ter saudades dos amigos e professores da antiga escola, por ter havido um desentendimento com um colega ou, simplesmente, a criança pode precisar de mais tempo para se adaptar. Mas se as queixas persistirem deve tomar medidas.

Leve o seu filho ao pediatra

Talvez haja uma razão física para as queixas que o seu filho manifesta, mesmo que estas sejam passageiras. Caso o pediatra descarte a hipótese de haver doença, converse com ele sobre a melhor forma de proceder para ajudar o seu filho a adaptar-se à nova realidade.

Por mais que lhe custe, evite deixar o seu filho faltar à escola. Quanto mais faltar, menos aproveitamento terá, o que pode originar um novo problema.

Identifique as causas

Procure perceber o que está a causar ansiedade no seu filho. Pode ser um desentendimento com um colega ou professor, ou a ansiedade da separação dos pais e de casa. O seu filho pode ter medo que, por alguma razão, os pais não o vão buscar à escola ou que alguma coisa lhes aconteça. Use argumentos baseados no bom senso (que são sempre os mais convincentes), explicando que os pais não o vão «abandonar» e tente ir buscá-lo um pouco mais cedo no dia seguinte. Ver o pai ou a mãe logo que sai da sala vai contribuir para diminuir a ansiedade.

Ajude-o a criar laços com o professor

O afeto para com os professores é a base para que a criança fique disponível para aprender. Se sente que o seu filho ainda não criou esta ligação, fale com a professora/professor. Explique-lhe que sente que o seu filho precisa de mais tempo para se adaptar e que espera dela/e um esforço complementar no sentido de o ajudar.

Fortaleça a vossa ligação

Sentir que os pais estão a par do que se passa na escola e prontos para o ouvir dará uma grande segurança ao seu filho. Assegure-se que reserva, todos os dias, algum tempo para conversarem sobre o dia na escola. A hora de jantar, em que todos os membros da família estão reunidos à mesa, é uma boa ocasião para falarem sobre o que a criança fez na escola.

Peça ajuda

Se mesmo com toda a atenção dos pais e professores o seu filho continua não querer ir à escola, se tiver pesadelos e estiver muito ansioso, aconselhe-se novamente junto do pediatra. Este saberá o que fazer e, se achar necessário, pode encaminhar a criança para uma consulta de psicologia infantil.

 

 

 

Texto: Site oficial da CUF
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top