Saúde

Fibromialgia: Aprender a viver com a doença que provoca dor 24 horas por dia

Redação
publicado há 3 semanas
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

«Nunca sei qual será o dia em que vou deixar de me mexer definitivamente.» É desta forma que Raquel Machado, de 26 anos, começa por explicar o que sente todos os dias desde que lhe foi diagnosticada Fibromialgia. A doença, associada aos “preguiçosos”, caracteriza-se por dores generalizadas, por vezes intensas e incapacitantes e cansaço acentuado, segundo explica o reumatologista Pereira da Silva – Professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.

LEIA TAMBÉM: Fibromialgia: O que é e como tratar?

«Não sentia o corpo e mal conseguia abrir os olhos»

Questionada sobre como tudo começou, a memória não lhe falha. «Após um surto enorme de trabalho, acordei e, mesmo antes de abrir os olhos, apercebi-me de que algo não estava bem. Não sentia o corpo e mal conseguia abrir os olhos.» Com a ajuda do namorado, Raquel Machado forçou-se a ir trabalhar, ignorando as dores e «a dormência nos membros». Procurou ajuda médica e foi-lhe explicado que se tratava apenas de um «pico de stress» e que em três dias estaria de volta ao normal. «A verdade é que, desde esse dia, tudo mudou», recorda.

Continue a ler o artigo aqui.

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda