Educação

Férias… se as crianças não estudarem esquecem tudo?

Redação
publicado há 3 meses
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Inês Ferreira Cruz explica como devem os pais tornar os dias de férias em memórias especiais.

Terminou mais um ano letivo e os nossos filhos em idade escolar já estão de férias!
Férias!
Férias!!
Férias!!!
(quase os conseguimos ainda ouvir no último dia de aulas a gritar de felicidade)

Já todos andávamos em contagem decrescente para as tão esperadas férias. Primeiro as deles e entretanto as nossas, mas muitas famílias partilham uma mesma dúvida: devem ou não os miúdos estudar nas férias?

Devo ou não comprar um livro de estudo?

Vão ou não esquecer tudo o que aprenderam?

Perguntas sem resposta, correta ou errada…

Eu digo sempre que cada família é uma família, cada miúdo é um miúdo e cada fase é uma fase, daí que não seja linear dizer sim ou não.

Mas não defendo que as crianças estudem nas férias nos moldes que habitualmente associamos a esta palavra…

Há tanto que podemos desenvolver sem um livro de fichas na frente e que fará falta na sala de aula de matemática.

As férias são alturas ótimas para desenvolver competências, experimentar atividades diferentes e dar largas à imaginação e ao “dolce far niente”…

Mudar rotinas, passar tempo em família, ler, ler, ler, ler e dar largas à imaginação, recontar as leituras que fizeram, perceber a importância de coisas simples, imaginar se fosse uma personagem, viver cada dia e cada minuto de forma diferente, criar e imaginar ao brincar na praia, no campo ou na piscina, fazer da toalha de praia uma cabana ou uma coroa para a cabeça, organizar, prever, preparar lancheira e mochila, memorizar, inventar, saber ler e orientar-se num mapa, jogar, ganhar, perder,
aprender jogos novos, fazer novos amigos, fortalecer amizades antigas, provar novas comidas, conhecer novas cidades, observar lugares, pessoas e aromas, notar as diferenças, falar sobre isso, partilhar emoções, contar tristezas e exponenciar alegrias, fazer perguntas, aceitar que nem todas têm resposta, colocar dúvidas e aceitar que fazem parte do percurso…

Tornar os dias de férias em memórias especiais…

Não será por não estudarem nas férias que algumas coisas serão esquecidas… as aprendizagens querem-se com sentido e essas dificilmente se esquecem.

O crescimento dos nossos filhos é tão mais completo quanto mais diversificarmos os meios e as formas de aprenderem.

Quem tem dúvidas?

Deixo algumas dicas já partilhadas num outro artigo, aqui.

Se isto vai fazer falta na sala de aula de matemática? Vai! Nem imagina quanto!

Texto: Inês Cruz, professora de matemática e autora blogue Inês Ferreira Cruz

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda