Educação

Escola Amiga da Criança: Inscrições abertas para o projeto que distingue escolas que promovem felicidade

Redação
publicado há 3 meses
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

A iniciativa da Confederação Nacional das Associações de Pais, apadrinhada pelo psicólogo Eduardo Sá e apoiada pela LeYa Educação, tem sido um sucesso nacional. As inscrições para a segunda edição já abriram.

A primeira edição da iniciativa Escola Amiga da Criança foi um sucesso. As inscrições para a segunda edição já estão a decorrer. O objetivo é simples: distinguir escolas que concebem e concretizam ideias extraordinárias que levem a criar um desenvolvimento mais feliz da criança no espaço escolar.

Escola Amiga da Criança

Eduardo Sá é um dos promotores deste projeto. «Todas as escolas deveriam ser amigas das crianças… A ideia de uma iniciativa como esta vai no sentido de chamar a atenção que os resultados escolares são muito importantes, mas há outro conjunto de aspetos que a escola deveria ter em consideração. Estamos a falar dos recreios. A maior parte das escolas não tem o cuidado indispensável com os recreios. Estamos a falar de projetos cívicos, da maneira como os pais e a escola colaboram entre si, da alimentação, de um conjunto de outras áreas que todas juntas fazem parte da Escola Amiga da Criança, à qual podem concorrer jardins de infância, escolas do 1.°, 2.° ou 3.° ciclo, secundárias, profissionais, públicos, privados… de maneira a que pequenas ideias, que são feitas fundamentalmente com a paixão dos professores e com o carinho das direções das escolas e das próprias associações de pais, sejam tornadas públicas e, desta forma, as escolas passem a ter todos os anos uma espécie de “Bandeira Azul” que faça com que os pais, quando escolhem uma escola, tenham em consideração o projeto educativo e tudo o resto», referiu o psicólogo durante a “Edição da Manhã”, na SIC, esta quarta-feira, 6 de março.

Orgulhosos da primeira edição

A primeira edição foi «uma surpresa fantástica» e superou todas as expectativas. «Estávamos a contar com 100 candidaturas e houve 1048! A diversidade dos projetos foi verdadeiramente surpreendente. O projeto vencedor foi uma escola de Lousada, uma escola num sítio muito escondido de Portugal sem as condições mínimas e indispensáveis», contou Eduardo Sá orgulhoso dos resultados.

A República dos Jovens valeu um prémio à Escola Básica e Secundária de Lousada Oeste. Os alunos têm assembleias de turmas e elegem representantes para um plenário. Têm voz, participam e decidem sobre a vida escolar.

O formulário pode ser preenchido até 5 de abril.

O primeiro prémio consiste em cinco mil euros, mas vão surgir outros prémios para incentivar todas as escolas a concorrer.

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda