Recém-nascido

Adiar o primeiro banho do bebé beneficia a amamentação?

Redação
publicado há 3 meses
0
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Uma das recomendações oficiais da Organização Mundial da Saúde refere que se deve a esperar algumas horas para o primeiro banho do bebé, pois traz diversos benefícios. Agora, segundo um estudo americano, esperar pelo menos 12 horas para dar o primeiro banho pode facilitar a amamentação exclusiva.

Segundo estudos anteriores, o vérnix — a substância branca e gordurosa que cobre o corpo do bebé no útero da mãe — possui propriedades antimicrobianas que ajudam a proteger a pele e até no desenvolvimento do pulmão. No entanto, nem todos os hospitais seguem esta recomendação. É o caso do Cleveland Clinic Hillcrest Hospital, na cidade de Mayfield Heights, em Ohio, Estados Unidos, que costumava ter uma política que previa o banho duas horas após o nascimento. Nos últimos anos, muitas mães começaram a pedir para para atrasar esse protocolo. Por isso, Heather Condo DiCioccio, especialista em desenvolvimento profissional de enfermagem, decidiu investigar e descobriu muito mais do que esperava.

Ligação entre o banho e a amamentação

O estudo liderado por DiCioccio e publicado no Journal of Obstetric, Gynecologic & Neonatal Nursing, envolveu 996 mães e os filhos recém-nascidos saudáveis. Cerca de 448 seguiram a política anterior do hospital de dar banho aos bebés passado duas horas de vida. O restante grupo (548) atrasou o primeiro banho em cerca de 12 horas.

Quando os especialistas compararam os dois grupos descobriram que as taxas de amamentação exclusiva — sem o uso de leite de substituição durante o período de internamento — subiu de 59,8 por cento para 68,2 por cento no primeiro grupo.

LEIA TAMBÉM: As melhores dicas para dar banho a um recém-nascido

Uma possível explicação é que retardar o banho significa mais tempo ininterrupto de contacto pele com pele entre o bebé e a mãe. Deste modo, o recém-nascido fica mais calmo e pronto para mamar. Outra possibilidade é a de que os recém-nascidos seguem o odor da mãe que os guia até o peito. «Eles estão envolvidos no líquido amniótico cerca de 38, 39, 40 semanas e o seio da mãe produz um cheiro parecido», explica a autora do estudo. «A conclusão é que talvez os dois cheiros ajudem o bebé a fortalecer o vínculo. É mais fácil para o bebé encontrar algo confortável, familiar e que gosta.»

O estudo também descobriu que os recém-nascidos que tomaram banho muitas horas mais tarde eram mais propensos a ter uma temperatura normal após o banho, em comparação com os bebés que tomaram logo banho, que estavam com frio e muito cansados para mamar. Ainda segundo a pesquisa, o efeito foi mais forte em mulheres que tiveram um parto normal, provavelmente porque os bebés são imediatamente colocados no peito das mães em comparação com o parto por cesariana, quando o contacto pode demorar até 30 minutos, esclarece DiCioccio.

O que é o vernix caseosa?

A maioria dos bebés nasce com a pele coberta por uma substância esbranquiçada a que se dá o nome de “vernix caseosa” (que significa “verniz cremoso”).

Esta camada de gordura, produzida pelas glândulas sebáceas do feto, deposita-se na pele nos últimos meses da gravidez, protegendo-a do contacto permanente com o meio húmido do útero. Mas também tem uma função importante no trabalho de parto, onde atua como um lubrificante que facilita a descida do corpo do bebé pelo canal de parto. Pode ser tentador limpar a pele do recém-nascido. No entanto, existem boas razões para aguardar algum tempo antes de dar o primeiro banho ao seu bebé.

LEIA AINDA: Os filhos devem ou não tomar banho com os pais?

Porquê adiar o primeiro banho do bebé?

1. Proteger a pele sensível do recém-nascido
O vernix é um hidratante natural da pele do bebé que a protege do líquido amniótico em que ele está mergulhado durante toda a gravidez. Depois do parto, esta camada de gordura também atua como uma barreira protetora contra a exposição da pele ao ar, impedindo-a de secar. Se o bebé nascer com muitos resíduos, pode limpar-se parte com uma compressa e adiar o banho para mais tarde.

2. Reduzir o risco de infeção
O vernix é constituído por células da pele do bebé e proteínas que previnem infeções bacterianas comuns. No hospital/maternidade, os bebés ficam expostos a certas bactérias e esta camada de gordura atua como uma barreira anti bacteriana natural que protege a pele contra os germes.

3. Valorizar a ligação mãe-bebé
Logo após o nascimento, o contacto pele a pele ajuda o bebé a sentir-se seguro. Após nove meses no ventre, o bebé sente-se solitário e confuso. Os primeiros momentos após o nascimento são preciosos para os pais se apresentarem devidamente ao seu bebé e para lhe darem as boas-vindas. A não ser que haja uma emergência médica e o bebé e/ou a mãe precisem de assistência, os primeiros momentos após o parto pertencem aos pais e ao bebé. O banho pode esperar.

4. Promover a amamentação precoce
Os bebés que usufruem do contacto pele a pele imediatamente após o nascimento e que não são separados das mães têm mais hipóteses de desfrutar de uma amamentação bem-sucedida. Ajudar as mães a iniciarem o aleitamento materno na primeira meia hora após o nascimento é mesmo uma das medidas aconselhadas pelos hospitais. Se estiverem próximos da mãe, nos 20-30 minutos após o parto, os recém-nascidos começam a procurar instintivamente o peito para se alimentarem. Este comportamento ajuda o bebé a lembrar-se como chupar e engolir, o que, na realidade, já fazia dentro do útero.

LEIA TAMBÉM: 10 regras de ouro para proteger um recém-nascido

Promover a amamentação exclusiva ajuda a proteger os bebés contra doenças e a reduzir a taxa de mortalidade. Separar o bebé da mãe depois do nascimento para lhe dar um banho pode interromper esse processo e tornar a amamentação mais difícil tanto para mãe como para o bebé.

5. Ajudar o regular a temperatura corporal
Enquanto o seu bebé está no útero, vive num ambiente morno e aconchegado. Não tem fome ou frio, não se sente inseguro ou desprotegido. Ao nascer, é empurrado para um ambiente hostil com uma temperatura muito inferior à do interior do corpo materno. Os recém-nascidos não conseguem ajustar a temperatura corporal e ainda não têm uma camada isolante de gordura que os proteja das oscilações de temperatura apesar de passar os últimos meses a acumular gordura sob a pele. Após o nascimento, o vernix atua como uma camada isoladora que ajuda o recém-nascido a lidar com a descida repentina de temperatura. Dar banho a um recém-nascido pode fazer com que ele fique frio e precise de usar mais energia e oxigénio para se manter quente.

6. Manter os níveis de açúcar no sangue
As primeiras horas de vida exigem uma enorme capacidade de adaptação do bebé. Ele tem que aprender a respirar, a manter o calor, a mamar e a conservar a sua energia uma vez que a placenta deixou de o nutrir. Dar banho ao recém-nascido pode agravar o stress desta adaptação à vida fora do útero o que desencadeia a queda dos níveis de açúcar no sangue. Os bebés com níveis baixos de açúcar no sangue podem ter dificuldade em amamentar e em conciliar o sono, aspetos vitais para o seu bem-estar e sucesso de adaptação. Banhar o bebé é um momento muito especial, particularmente o primeiro banho. Provavelmente, o primeiro banho do seu bebé será dado ainda no hospital/maternidade com ajuda dos profissionais. Aproveite esse momento para esclarecer todas as suas dúvidas para que se possa sentir tranquila quando regressar a casa e tiver que lhe dar o banho sozinha.

Siga a Crescer no Instagram

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda