Bebés/Crianças

8 passos para acabar com o vício das crianças pelos telemóveis e não só

Redação
publicado há 3 semanas
0
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

A autora britânica Tanya Goodin, fundadora da associação «Time to Log Off» (em português: hora de terminar sessão), acaba de lançar um novo livro, «Stop Staring at Screens» (em português: pare de olhar para os ecrãs), que revela como pode construir um melhor relacionamento entre tecnologia e família.

De acordo com a autora, não se trata de banir completamente os dispositivos, mas negociar uma abordagem mais equilibrada através de técnicas como a criação de uma estação ‘untethering’ em casa e fazer as crianças passarem 15 minutos ao ar livre a cada hora de exibição.

«As discussões sempre crescentes sobre o tempo passado no ecrã e às vezes podem parecer a única maneira de se falar sobre tecnologia em casa», disse a autora ao Daily Mail. «Mas há maneiras mais saudáveis de discutir e reduzir o tempo dos seus filhos nos ecrãs». Veja os oito passos:

Confira os seus próprios hábitos

Tudo começa consigo. O sucesso de deixar seus filhos longe dos ecrãs estará diretamente relacionado com o quanto tempo gasta neles. Olhe criticamente para os seus próprios hábitos ao ecrã e coloque-os sob controle primeiro.

Estabeleça consequências

Deixe bem claro quais são as consequências de desrespeitar qualquer uma das regras da tela e esteja preparado para acompanhar as consequências que você expôs. Se as consequências não forem proporcionais ou se forem aplicadas de maneira inconsistente, você poderá se despedir da adesão às regras.

Explique truques técnicos viciosos

Aproveite o tempo para explicar às crianças como o software que elas usam é projetado para conectá-las e mantê-las voltando nos ecrãs. Notificações push, recompensas imprevisíveis, gamification são exemplos disso – leia sobre o campo da «tecnologia viciante» e discuta-a como uma família. As crianças mais velhas estarão definitivamente interessadas, e isso as tornará mais conscientes das armadilhas em que elas podem cair.

Estratégias anti-ecrãs dentro de casa

Uma caixa, uma cesta ou uma estação de recarga em um local central onde todos guardam os seus telefones é uma ótima maneira de se desvincular dos seus dispositivos em casa e de se concentrar em outras coisas. Algumas famílias até pedem que os visitantes deixem os aparelhos num local central quando entram pela porta. Porque não tentar também?

Experimente jogos ao ar livre

Transforme as quebras de ecrã em intervalos verdes e leve as crianças para fora, ao ar livre, em intervalos regulares, quando elas passarem algum tempo nos dispositivos – 15 minutos para cada hora passada ao ecrã pode ser uma regra. Dê uma dica do manual de tecnologia e «gamify» breaks para crianças mais novas, projetando um circuito de jardim ou pista de obstáculos que eles têm que completar durante esses intervalos, com um quadro de líderes para os tempos e desafios concluídos.

Psicologia alternativa e o mundo exterior

Às vezes, a melhor abordagem é permitir que as crianças experimentem o tédio que pode surgir sem os telemóveis, para que encontrem suas próprias soluções de entretenimento. Mas chegando com algumas alternativas atraentes, você mesmo pode ajudar a lançar o seu pensamento criativo. Organize algumas atividades sem ecrãs que sabe que as crianças sempre gostaram (fazer um bolo, pintar bolas ou nadar, talvez) para lembrá-las de que há um grande mundo lá fora, longe dos ecrãs.

Conheça as restantes dicas aqui.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Artigos relacionados

Últimas

Top
Botão calendário

Agenda

Consultar agenda